quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Top10: Clint Eastwood

Quem me conhece sabe que sou fã desse veiaco e já que faz um tempo que não posto nesse pulgueiro, tive a idéia de montar uma pequena lista de filmes do cara, com um breve comentário para cada filme.

10 - As Pontes de Madison (The Bridges of Madison County, 1995)



Tá, não sou muito fã de filmes de romance (no máximo uma comédia romântica) mas como sou putinha do Eastwood, não poderia deixar de ver esse filme. E me surpreendi. Ver o bom e velho Homem Sem Nome, que já estourou uns malandros como Harry Callahan em um filme desses pode ter sido estranho mas o resultado foi satisfatório. Destaque para a emocionante cena do semáforo, que também mostra todo o talento de Meryl Streep.

9- O Destemido Senhor da Guerra (Heartbreak Ridge, 1986)



Filmes militares sempre são bem-vindos, e um colocando o velho Clint como um sargento designado pra transformar um bando de palermas em soldados não poderia dar errado. Pode ser clichê, mas ainda assim é um ótimo filme.

8- O Cavaleiro Solitário (Pale Rider, 1985)



O primeiro western do titio da lista, Pale Rider segue a mesma linha do futuramente citado High Plains Drifter, um desconhecido que chega a uma cidadezinha disposto a ajudar, um filme rodeado por uma aura mística e misteriosa, com direito a citações bíblicas.

7- Menina de Ouro (Million Dollar Baby, 2004)



Aqui mais uma tentativa do titio de ganhar um Oscar de Melhor Ator, falhou nesse quesito, mas em compensação o filme garantiu a estatueta de Melhor Atriz para Hilary Swank, de Melhor Ator Coadjuvante para Morgan Freeman, de Melhor Diretor para Clint e a de Melhor Filme. Todos merecidos, afinal, a história do velho treinador que, a principio relutantemente, aceita treinar uma jovem esperançosa comoveu muita gente.

6- Por Um Punhado de Dólares (A Fistful Of Dollars, 1964)



O primeiro filme da chamada Trilogia dos Dólares, fruto da parceria de Clint com o diretor italiano Sergio Leone foi também a estréia do icônico Homem Sem Nome. Baseado no clássico Yojimbo, de Akira Kurosawa, é o filme mais "simples" dos 3, mas o meu preferido por ser o mais dinâmico.

5- Perseguidor Implacável (Dirty Harry, 1971)



Aqui começa a saga de outro famoso personagem de Clint, o Inspetor porra louca Harry Callahan, mais ou menos um Capitão Nascimento ianque da década de 70. Sempre armado com sua .44, Callahan sai distribuindo tiros na bandidagem sem dó enquanto solta frases de efeito, um personagem muito criticado devido ao seu violento senso de justiça, mas que se tornou um clássico, uma das melhores parcerias com o diretor Don Siegel.

4- Josey Wales, O Fora da Lei (The Outlaw Josey Wales, 1976)


Um começo explosivo, um fazendeiro bolado em busca de vingança, a boa e velha Guerra Civil Americana, índios e tiros. Tudo que um bom western precisa. Um dos três primeiros filmes que assisti do Clint, mas que ainda assim fica na quarta posição.

3- Os Imperdoáveis (The Unforgiven, 1992)



Imaginem que o Homem Sem Nome se aposentou, construiu uma casa e resolveu montar uma família. Anos depois, viúvo e precisando de dinheiro, aceita um último trabalho: matar uns cowboys que desfiguraram o rosto de uma prostituta. É mais ou menos isso que se trata Os Imperdoáveis, o oscarizado (levou quatro estatuetas, duas para Clint) e último western de Eastwood. Vale também citar que aqui foi a sua primeira parceria com Morgan Freeman.

2- O Estranho Sem Nome (High Plains Drifter, 1973)


O Homem Sem Nome reaparece nesse filme, o segundo dirigido por Clint, como um misterioso pistoleiro que chega a uma cidadezinha (pra variar) e acaba mudando toda a rotina do lugar. No meio de tiroteios, tentativas de assassinato e planejamentos, temos os habitantes do lugar pedindo ajuda ao personagem de Eastwood contra três bandidos que estão chegando dispostos a conseguir vingança. Assim como Pale Rider, o filme também tem a atmosfera mística, mais sombria que o citado.

1- Gran Torino (Gran Torino, 2008)


A história de Walter Kowalski, um veterano de guerra solitário, ranzinza e preconceituoso, mas que se revela um homem de bom coração ao se aproximar e ajudar uma família de hmongs (um grupo étnico asiático) fica com o topo do pódio por, além de ser um dos melhores filmes de Clint, foi com ele que conheci seu trabalho, o que me faz manter um carinho especial por essa produção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário